Como fazer a contagem de cartas no Blackjack

Contagem de cartas no Blackjack: como funciona? É indicada?

Índice:

Em todo jogo é natural que o jogador busque por um método para aumentar suas chances de ganhar. Quando se trata de jogos de cartas, o foco geralmente está na contagem de cartas dos baralhos. Especialmente quando se trata de blackjack, o processo de contagem de cartas é uma prática que se tornou muito popular ao longo dos anos.

Cassino ao Vivo

Abrir Conta

Contagem de cartas no blackjack - como fazer?

Contar cartas em uma mesa de blackjack não é para qualquer um: é preciso ter agilidade mental e um cálculo rápido. Os primeiros métodos de contagem de cartas no blackjack ficaram famosos a partir de um livro de 1963 do matemático americano Harvey Dubner, que mais tarde foi seguido por livros de muitos outros autores diferentes.

Na maioria das vezes, esses sistemas de contagem de cartas no blackjack são usados para descobrir se as cartas restantes no baralho são favoráveis ou desfavoráveis à vitória do jogador. Obviamente, não é necessário lembrar de cor os valores numéricos individuais das cartas, pois esses sistemas atribuem pontos a cada carta.

A pessoa que está contando as cartas deve somar ou subtrair levando em conta o valor que o sistema atribui à carta que acabou de sair e, em seguida, aplicá-lo à contagem total. Esse total varia à medida que as cartas saem: ele pode aumentar ou diminuir, indicando ao jogador se ele está enfrentando uma situação favorável ou desfavorável.

Contar as cartas - por que não fazê-lo?

Contar cartas era uma atividade muito mais fácil de ser realizada antes dos anos 2000, principalmente porque poucas pessoas sabiam como contar cartas e a principal maneira de aprender a contar cartas no blackjack era comprando livros que explicavam as várias estratégias.

Além disso, nem todos os cassinos estavam cientes dos vários métodos e as empresas demoravam mais tempo para implementar medidas para evitar essa contagem. Hoje em dia, no entanto, todos os cassinos estão cientes dos vários métodos que um jogador pode usar durante um jogo de blackjack para contar cartas.

Normalmente, para combater a contagem de cartas, os cassinos tendem a usar vários baralhos diferentes e a aumentar o número de vezes que as cartas são embaralhadas, é possível que também seja usado sistemas automatizados. Além disso, ao jogar em cassinos físicos, existem câmeras especiais para monitorar a atividade de jogo nas mesas, bem como um software que foi desenvolvido para analisar o comportamento de jogo nas mesas e detectar aqueles que podem estar confiando em estratégias de contagem de cartas.

Por fim, os cassinos nunca veem com bons olhos os contadores de cartas e, quando um jogador é pego, ele é convidado a deixar a mesa de jogo e provavelmente será colocado na lista negra desse cassino.

Sistema Hi-Lo: como funciona?

Entre os métodos para contar cartas no blackjack, o sistema Hi-Lo é certamente o mais famoso e utilizado. Seu nome, High-Low, popularmente conhecido como Hi-Lo, vem do seu método de funcionamento.

Na contagem de cartas no blackjack, o Hi-Lo é usado para entender se as cartas restantes no baralho fornecem uma probabilidade maior ou menor de vitória para o jogador.

De fato, basicamente a contagem começa do zero e dependendo das cartas que saem pode variar um ponto de cada vez (positivo ou negativo) seguindo este esquema:

Para as cartas de 2 a 6 deve-se somar um ponto. Para as cartas de 7 a 9 não se soma nem se subtrai (valem 0 neste sistema de cálculo). Para as cartas 10, figuras e Ás, subtrai-se um ponto.

Obviamente, a pontuação deve ser atualizada toda vez que uma carta é jogada. O método Hi-Lo se baseia nas estatísticas segundo as quais as cartas mais baixas tendem a dar uma vantagem à banca, enquanto as cartas mais altas tendem a dar uma vantagem aos jogadores.

Isso significa que: Quanto mais cartas altas são jogadas, mais cartas baixas permanecem no baralho: a banca, portanto, terá uma vantagem maior e os jogadores uma vantagem menor.

Quanto mais cartas baixas são jogadas, mais cartas altas permanecem no baralho: a banca, portanto, terá uma vantagem menor e os jogadores uma vantagem maior.

O primeiro caso é refletido por uma pontuação Hi-Lo baixa: de fato, à medida que as cartas altas são jogadas, deve-se sempre subtrair um ponto por carta. O segundo caso, por outro lado, ocorre com uma pontuação alta: quanto mais cartas baixas permanecem no baralho, mais pontos devem ser somados ao total.

No caso de serem usados vários baralhos para jogar, é necessário então fazer um True Count ou seja, uma contagem baseada nos baralhos restantes. Normalmente, os cassinos usam oito baralhos para jogar blackjack. Imagine, portanto, ter uma pontuação de +10: será necessário dividi-la pelo número de baralhos restantes, ou seja, quatro, e obter o True Count arredondando para baixo (portanto, +2).

Sistema Hi-Opt – como funciona?

Se o sistema Hi-Lo é considerado o mais fácil, o sistema Hi-Opt é ligeiramente mais complexo, mas permite ter uma contagem progressiva e, portanto, um nível de precisão superior na contagem de cartas no blackjack.

O nome é uma abreviação de Highly-Optimum e é frequentemente chamado de Hi-OPT1, já que também existe uma variante da estratégia chamada Hi-OPT2.

Este método se baseia no mesmo funcionamento do Hi-Lo, mas com algumas variações na contagem:

Para as cartas de 3 a 6, deve-se somar um ponto. As cartas 2, 7, 8, 9 e também o Ás não se soma nem se subtrai (valem 0). Para as cartas 10 e figuras, subtrai-se um ponto.

Além do 2, que é considerado uma carta de 0 pontos, a mudança mais evidente é a transferência do Ás de uma carta que subtrai um ponto para uma carta que vale zero.

De fato, no sistema Hi-Opt, os ases valem zero porque devem ser contados à parte e é necessário memorizar quantos ases foram jogados, assim como em qual quarto do baralho estamos.

Em cada baralho, há quatro ases, um para cada quarto do baralho. Se após um quarto do baralho ter sido jogado nos encontramos com zero ases jogados, significa que os três quartos restantes do baralho a ser jogado contêm quatro ases, um a mais do que o devido. Uma situação dessas fará com que adicionemos um modificador temporário de +1 à nossa contagem.

Se, por outro lado, notamos que saíram mais ases do que os quartos do baralho jogados (continuando o exemplo anterior, se dois ases já saíram durante o primeiro quarto do baralho, deixando apenas dois ases para os três quartos restantes), então adicionaremos um modificador temporário de -1 à nossa contagem.

Além disso, porque o sistema Hi-Opt é usado quando se joga com um único baralho de blackjack, o cálculo do True Count é diferente em comparação com o sistema Hi-Lo. Neste caso, para calcular o True Count, deve-se considerar a contagem normal e dividi-la pela fração do baralho restante em jogo (calculado em quartos: um quarto, dois quartos, três quartos, quatro quartos).

Portanto, se temos uma contagem normal de +4 e restou apenas um quarto do baralho, a operação 4 dividido por 1/4 se tornaria uma multiplicação (a fração se inverte e se torna: 4 x 4 dividido por 1, que é igual a 16, que seria o nosso True Count).

Filmes sobre a contagem de cartas no Blackjack

É cada vez mais comum os filmes sobre cassinos, são muitos os filmes que têm cenas ambientadas dentro das salas de jogo. São várias histórias mostrando os cassinos, e algumas específicas que contam sobre blackjack.

A verdade é que a partir do momento que a contagem de cartas no blackjack ganhou popularidade nos Estados Unidos, Hollywood dedicou vários filmes que contam sobre estratégia. Um dos mais conhecidos é "Rain Man", filme de 1988 com Dustin Hoffman e Tom Cruise, que ganhou quatro Oscars e um Urso de Ouro, esse clássico tem a parte final da história focada na contagem de cartas na mesa de jogo.

"Quebrando a banca" é outro título famoso e mais recente, que também conta com a participação Kevin Spacey e cuja história é baseada nos eventos reais de um grupo de estudantes do MIT americano que, entre 1980 e 1990, recorreram à contagem de cartas no blackjack para ganhar em vários cassinos de Las Vegas.